Saber escolher músicas Jazz para eventos

Olá a todos

 

Hoje a caminho de casa vinha a pensar na importância que a música tem nas nossas vidas. Faz-nos lembrar momentos de há anos e anos. Pouca coisa tem o poder da música. E o papel que lhe toca nos nossos eventos é muito importante. É por isso que decidi fazer este post. Todos nós já nos encontrámos em eventos em que a música está perfeita, a tornar o ambiente ainda mais agradável… e em eventos em que a música não combinada com nada: é demasiado acelerada, é demasiado popular, é demasiado calma…

 

Afinal, que músicas Jazz deveremos escolher para eventos?

 

Se se trata de um evento corporativo, o melhor é escolher uma música de fundo muito subtil, que faça os convidados relaxarem e sentirem-se em casa. Músicas instrumentais costumam funcionar bem neste tipo de eventos, o plano de fundo é discreto e o foco está nas conversas entre os presentes.

 

No entanto, se se trata de uma festa da empresa, é aceitável “exagerar”. É sempre adequado iniciar o evento com música calma, mas, dependendo do clima, quem estiver encarregue da música deve ter a liberdade e o tacto para conseguir alternar entre a “Bonita” de Frank Sinatra e a “Wouldn’t It Be Nice” dos Beach Boys. Notando sempre que é importante nunca passar de uma música cujas batidas por minuto (bpm) sejam muito lentas para uma com batidas rápidas – soa muito estranho.

 

Há algumas músicas Jazz/Blues (é sempre discutível o género exacto a que pertencem) que aconselho sempre aos organizadores de eventos:

Sing, Sing, Sing”, de Benny Goodman, “Strangers In The Night”, de Sinatra, “Hit the Road, Jack”, de Ray Charles, “What a Wonderful World”, de Louis Armstrong. A lista é interminável, na verdade. Miles Davis deve constar, Keith Jarrett idem, Ella Fitzgerald e John Coltrane devem ser convidados. Bossa nova também é sempre uma boa ideia. Esta playlist, por exemplo.

 

É importante escolher um responsável pela música que consiga entender e sentir qual a melodia mais adequada a cada momento e a cada público. Um público mais adulto talvez se reveja mais em temas de Tony Bennett e um mais jovem é possível que prefira os êxitos mais actuais, lounge e chillout.

 

Espero que estas sugestões o tenham ajudado a planear o seu próximo evento. É sempre subjectivo e dificilmente haverá dois grupos de convidados com os mesmos gostos musicais, mas em princípio muitas destas músicas cumprirão o pretendido: ambientar os convidados da melhor forma possível

 

Bom evento!

Anta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *